Há NADA para dizer.
um ser dito cala-se na voz.

há transparencias e há o meio fio
a entrelinha supoe o incerto,
que pulsa em desequilibrio
no deserto de porvires.

inimaginavel é o ali
aqui, intermitencias
vagam as poeiras invisiveis do vao

um passo em falso e ali se ve
o olho se fecha e ca esta
toda uma imensidao de deixar-se ir.
do vazar,
expirar ausencias.

vida que lampeja os fios invisiveis
é no meio que esta o nao
o fora indescritivel forma
e a dormencia lateja

eco, nubla, nem.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s